segunda-feira, 20 de julho de 2009

Fela Kuti

Africano, mais precisamente nigeriano. Nascido em 15 de Outubro de 1938. Filho de uma feminista (a primeira mulher nigeriana a dirigir um automóvel) e de um pastor protestante e diretor de escola. Seu nome: Olufela Olusegun Oludotun Ransome-Kuti ou simplesmente Fela Kuti. Fela foi um multi-instrumentista, músico e compositor, ativista político e dos direitos humanos.


Começou a estudar música depois de abandonar seus estudos do curso de medicina em Londres. Lá formou sua banda "Koola Lobitos" que fazia um som nunca antes experimentado o qual foi chamado, posteriormente, de afrobeat. O afrobeat é uma mistura de jazz, funk e ritmos tradicionais da África. Tudo isso com uma excelente dose de psicodelia. Fela tocava teclados, trompete, saxofone, guitarra, bateria e ainda era responsável pelos vocais.



Na década de 70, Fela com a sua banda, renomeada para "Africa 70", cria República Kalakuta. Uma espécie de comunidade a qual ele declarou independente do Estado da Nigéria. Com o passar do tempo suas músicas foram ganhando cada vez mais um tom político e sua popularidade aumentava o que desagradava às autoridades. Ataques à Kalakuta eram frequentes. Em 1977, Fela e a África 70 lançam “Zombie”, uma ácida crítica às forças armadas nigerianas. O álbum fez um grande sucesso e não agradou nem um pouco o governo, fato este que desencadeou um cruel ataque à República Kalakuta. Fela foi espancado e sua mãe foi assassinada.



Depois do ataque Fela formou seu partido político (Movimento do Povo) e em 1979 se candidatou a presidente, entretanto sua candidatura foi recusada. Com sua nova banda Egypt 80 continuou gravando mas na década de 90 sua produção diminui até ele parar definitivamente de lançar álbuns. Fela Kuti veio a falecer de Sarcoma de Kaposi, causado por AIDS, no dia dois de agosto de 1997. Mais de um milhão de pessoas compareceram ao funeral.


Segue abaixo o link para o download do álbum Zombie.


Download


Villa Lobos,

ao som de International Thief Thief - Egypt 80

Um comentário:

  1. Chegar aos ouvidos e atingir o coração. Mesmo diante de uma série de limitações, um homem conseguiu, por meio da música, ganhar adesão de uma série de pessoas, despertar um sentimento mútuo e dar voz a ele. Existia uma idéia perigosa por trás do que ele fazia, e quem diria que ele seria capaz de tanto? É impressionante a maneira como a música se mostra uma forma de expressão que transcede todas barreiras que esse mundo grande pode impor, sejam elas sociais, políticas ou o que for.

    ResponderExcluir