sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Hobsbawn feat. Brown


“O aspecto econômico é, evidentemente, o que primeiro salta aos olhos quando se trata de desigualdade social. Get up. Mas há outro fator, situado na penumbra, que me intriga mais que a desproporção econômica e suas consequências: a liberdade (compreendida como o direito de proceder conforme nos pareça, contanto que esse direito não vá contra o direito de outrem). Get on up. O ponto aqui reside em considerar que a riqueza é, em geral, inversamente proporcional à liberdade. Stay on the scene. Quanto mais rico é o sujeito, menos livre para autodeterminar-se; ao passo que o detentor de parcos recursos é desimpedido, pois tem muito pouco a perder no jogo social. Get on up. É a aplicação da teoria mais importante do universo, a Lei da Compensação, propalada por Jackson do Pandeiro e que coloca Newton, Murphy, Lavoisier e até Gil no chinelo. Like a sex macnhine. E essa desigualdade é o maior sintoma da patologia de que padece a sociedade moderna, que, no fim das contas, triparte-se em: os que possuem riquezas, mas vivem amedrontados, trancafiados, receosos (classe alta); os que vivem em condições econômicas preocupantes, mas gozam de maior liberdade (classe baixa); e os que habitam o pior dos mundos, com pouco dinheiro e muito medo (classe média). Get on up."

Eric HobsBrown ("A história social do Funk". p. 217)




O Polvo

Nenhum comentário:

Postar um comentário